24 de mar de 2014

MotoGP: Marcas, Open e Marquez

De todos os começos de temporada, eu posso afirmar com todas as minhas convicções que a começo da temporada 2014 da MotoGP foi a melhor de todas.


Foram tantas coisas que ocorreram que eu nem sei por onde começar.
Por isso vou começar criticando. E eu critico a transmissão, eu não vi ao vivo, vi pelo SporTv e a partir da metade da corrida, a transmissão ficava travando! Eu tava na tensão, nervosa, torcendo e a imagem rtavando mermão?!
Tirando isso, por mais que o comentarista fale umas besteiras de vez em quando, eu gosto muito dele. Ele
torce também e não disfarça!

Agora quanto a corrida.
Esse ano a MotoGP está cheia de mudanças, assim como a F1, a Indy, a Nascar entre tantas outras categorias (eu sei que o eu escrevi é automobilismo e MotoGP é motovelocidade, não precisam me lembrar do fato)
Entre essas mudanças vem o lance das categorias, temos a de marcas e a outra(cujo nome esqueci), em suma isso deixaria a competição melhor já que as equipes que não são de marca teriam mais chances de desenvolver, testar, etc...

Ai que entra a Ducati, que como não vence desde de Stoner, tem as mesmas vantagens das equipes que não são de marca. Pois bem, minha Ducati, que eu sigo
e torço mesmo nos momentos difíceis, deu uma melhoradinha com Dovizioso. (Não irei considerar o fato de uma galera ter caído durante a prova) E no fim O italiano fechou o grupo dos cinco mais bem colocados.\0/\0/\0/

Pois indo aos demais, Lorenzo é o cara da largada, e sua largada foi bela como sempre, Pedrosa largou de marcha ré e Marquez ficou na dele.

Mas largadas a parte, bonito foi ver Rossi e sua corrida de recuperação, lembrando que ele largou da 10ª posição. Rossi foi um dos destaques, chegou chegando, pilotou muito e após alguns problemas de outros pilotos mais a ultrapassagem sobre Bradley Smith e Álvaro Bautista ele chegou para a disputa pela vitória.

Mas eis que eu estava na sala curtindo a corrida quando de repente Lorenzo até então líder da prova ... cai, e cai feio, saiu esfregando no chão com a sua moto quicando perigosamente.




E com isso Bradl ( yeees \0/) assumiu a frente, eu torci por ele, sei que o rapaz faz o melhor com a moto que tem, e eu tinha a convicção que ele iria segurar o primeiro lugar até a
natural queda de desempenho da sua moto, mas ai do nada ele caiu também, outra queda feia, tanto dele quanto a moto soltaram faíscas, só pra vocês terem uma dimensão do fato.
Outro que estava com tudo, todo empolgado mas estranhamente ansioso, era Bautista, ele veio que veio, babando por posições, como o comentarista falou, mas após uma aproximação agressiva ele cometeu diversos erros que lhe custaram varias posições, e eu cheguei até a murchar um pouquinho pois esperava um duelo entre ele e o Rossi (algo tão frequente ano passado). Mas Bautista ainda iria ressurgir na metade final da prova, encostando com tudo no Pedrosa, ele chegou, pressionou e passou
 e eu já fiquei na espera de algo incrível, Bautista, Rossi e Marquez, mas eis que vejo outra coisa, incrível
também, mas não o incrível que eu queria. Estava vendo a corrida, aquela moto verde limão linda, e ai, baaam, Bautista no chão!

Eu não acreditei, como foi possível?
Mais um caindo.

Mas não pense que a queda do Bautista foi o fim da diversão. Pedrosa se conformou com seu terceiro lugar e seguiu tranquilo até o final, mas a disputa pelo primeiro lugar estava tensa. Marquez e Rossi, Rossi e Marquez.

Foi lindo, emocionante, vibrante, e tantos outros adjetivos. Rossi na frente ai chega Marquez com tudo e mesmo com lesão freia forte e passa, depois Rossi chega junto, câmera na bunda do Marquez mostrando o grau de inclinação e no cantinho da tela aparece Rossi, eles fizeram curvas juntinhos, chegadas ousadas, tentativas de ultrapassagens ambiciosas. Até que Rossi passou, eu juro que gritei na sala de emoção, estava tensa e com um sorriso de orelha a orelha.
Mas ai o Marquez veio junto e passou de novo, e não tem como ficar brava por ter visto Rossi perder a posição uma vez que a disputa estava linda.


No fim terminou com Marquez em primeiro, Rossi em segundo (mostrando que ainda tem gás pra mais uma temporada) e Pedrosa em terceiro.

O que mais posso dizer?
Esses pontos perdidos podem pesar pro Lorenzo mais adiante no campeonato, e que com certeza Bradl e Bautista se não tivessem caído estariam ali disputando pódio também.
E que Pedrosa precisa ser mais agressivo (minha opinião) se não quiser passar mais um ano sem titulo, e o pior, vendo seu companheiro equipe correndo para ganhar todas as provas possíveis.Vale lembrar aqui seu compatriota Aleix Espargaró, que terminou em quarto. (quase não escrevi sobre ele, mas não foi por mal)

Ah, não posso esquecer o Crutchlow (agora na Ducati), teve um prova amena, cheguei a pensar no pior, mas o sexto lugar é muito bem vindo. Mas acho que ele pode mais, em geral ele foi bem, não caiu, o que se for considerar essa etapa foi um feito!

Em suma, uma prova emocionante.
A melhor abertura de temporada desse ano, valeu cada minuto, cada dia de espera para ver a MotoGP.
E olha que eu não espero pouco deles, e ainda assim a MotoGP alcançou e ultrapassou minhas expectativas.
Que a batalha pelo campeonato de 2014 comece!
Quem será que vai ganhar esse ano hein?

Termino aqui com uma coisinha que li no twitter.
A MotoGP agora é dividida em categorias: Marcas, Open e Marquez.
Quem escreveu ainda não tinha visto a corrida, mas se o rapaz fez isso com a perna ainda ruim, mal posso imaginar o que ele fara quando estiver 100%.

E DUCATI! Eu não desisto nunca! Você será grandiosa! Eu sei, eu sinto!


1. Marc Márquez (Honda)

2. Valentino Rossi (Yamaha)

3. Dani Pedrosa (Honda)

4. Aleix Espargaró (Forward Yamaha)

5. Andrea Dovizioso (Ducati)

6. Cal Crutchlow (Ducati)

7. Scott Redding (Honda)

8. Nicky Hayden (Honda RCV)

9. Colin Edwards (Forward Yamaha)

10. Andrea Iannone (Ducati Desmosedici)

11. Hiroshi Aoyama (Honda RCV)

12. Yonny Hernández (Ducati Desmosedici)

13. Karel Abraham (Honda RCV)

14. Danilo Petrucci (Art)

15. Broc Parkes (PBM)

16. Michael Laverty (Averty)

17. Mike Di Meglio (Avintia)

Não terminaram a prova:

Álvaro Bautista (Honda)

Bradley Smith (Monster Yamaha Tech 3)

Pol Espargaró (Monster Yamaha Tech 3)

Stefan Bradl (LCR Honda)

Héctor Barberá (Avintia)

Jorge Lorenzo (Yamaha)

Reações:

0 comentários: